Cimento que emite luz pode substituir iluminação em estradas, vida útil de 100 anos

por:
28/12/2021 as 20:10
De olho na Engenharia
Cimento que emite luz pode substituir iluminação em estradas, vida útil de 100 anos

De acordo com o estudo sobre cimentos, que levou 9 anos de pesquisa do José Carlos Rubio, pesquisador e Ph.D. da Universidade de Michoacan de San Nicolas Hidalgo, no México, ele encontrou uma maneira de produzir um piso capaz de emitir luz, com vida útil de 100 anos.

De acordo Rubio, o maior problema enfrentado no estudo foi o fato de o cimento ser um corpo opaco, isto é, não permite a passagem de luz para o seu interior. Desse modo, foi então necessário um estudo mais profundo e diversas experiências até que a solução por fim fosse encontrada.

O pesquisador ainda explica qual é a lógica por trás dessa invenção. O cimento é um pó que, ao ser misturado com água, dissolve-se como um comprimido efervescente. Logo, neste momento o material começa a se assemelhar a um gel muito forte e com resistência, ao mesmo tempo, flocos cristalinos são formados, mas esses flocos são totalmente indesejados.

Para resolver isso, o pesquisador se dedicou à mudança na estrutura do cimento, para extinguir os flocos e deixá-lo completamente no formato gel, ajudando a absorver a energia do sol, devolvendo-a ao meio ambiente como luz. Este cimento “brilhante” tem como base areia e argila, tendo como único resíduo o vapor de água.

O cimento, por sua vez, absorve energia do sol durante todo o dia, para permanecer iluminado por até 12 horas. Além do mais, o pesquisador diz que é possível controlar a intensidade da luz, e assim evitar que o brilho atrapalhe ciclistas e motoristas, e o mater

A tecnologia está em fase de implementação para ser comercializada e os cientistas também estudam a sua aplicação em gesso e outros produtos que fazem parte da construção civil, como alternativa natural para reduzir o consumo de energia elétrica na iluminação de ambientes.

Fonte: Engenharia é / Foto: Divulgação

  • Fantástico!!!

    • Magnífico! Vamos devolver as represas aos rios.

  • Muito bom. Espero que esteja disponível em breve. Imagino o trabalho que este produto deva ter dado aos pesquisadores, em relação à compreensão das reações dos diferentes componentes, bem como a reestruturação do mesmo para então ser divulgado e finalmente disponibilizado a todos. Imaginem se todo este cuidado fosse observado e respeitado em relação a atual crise sanitária.

    • Se implantarem Aqui no Brasil, os deputados vão taxar a luz do chão como fizeram com a energia solar.

  • Fantástico!

  • Enquanto uns usam o cérebro pra roubar, destruir…outros usam para melhorar a vida, criam para ajudar a humanidade Parabéns

  • Isso de acumular luz solar deve ser o mesmo q aquelas estrelas q colamos no teto dos quartos e elas brilham no escuro, pq a luz da lâmpada vai passando luz pra elas enquanto ela está acesa, mas não acho muito efetivo pq a luz não dura muito, só umas horas, e como o inventor disse q dura 12h, acho q a partir de umas 5h já fique extremamente fraca

  • Possivelmente o atraso das OBRAS DA NOVA, ou melhor, já “VELHA TIMOIA”, é devido estarem aguardando a aprovação deste produto que muito será útil para a segurança dos USUÁRIOS da mesma!
    “Só estaremos diante de um grande problema que em tese foge aos interesses escusos e INTERESSE PÚBLICO, A VIDA ÚTIL É DE 100 ANOS”! (RISOS) i SUJOU!”. Com certeza, depois de tanto o ser humano apanhar e diante de seus próprios olhos sua própria extinção, O FUTURO SERÁ BEM MELHOR, MESMO QUE SEJA ATRAVÉS DE UM RECOMEÇO!

  • Excelente..