Alta demanda por carros elétricos chineses causa falta de navios de carga

por:
25/05/2024 as 18:38
De olho na Engenharia
Alta demanda por carros elétricos chineses causa falta de navios de carga

A China, conhecida por sua rápida expansão no mercado de veículos elétricos, enfrenta agora um desafio inesperado: uma escassez de navios de carga para transportar seus carros para mercados internacionais.

Este crescimento acelerado na exportação de carros elétricos levou à necessidade de aumentar significativamente sua frota marítima, conforme reportado pelo Electrek.

Expansão marítima para atender à demanda
Atualmente, a China detém a oitava maior frota marítima do mundo dedicada ao transporte de automóveis, com 33 navios. Isso é pouco se comparado ao Japão, líder do ranking com 284 navios.

Atrás do Japão, estão a Noruega com 102, a Coreia do Sul com 72, e a Ilha de Man com 61 navios. Diante da crescente demanda por seus veículos elétricos, a China já começou a agir para mudar esse cenário.

Empresas locais, incluindo grandes fabricantes como SAIC Motor, Chery, e BYD, além de companhias de navegação como COSCO e China Merchants, encomendaram 47 novos navios.

Essas encomendas representam um quarto de todas as encomendas de navios automotivos no mundo.

Impacto futuro no mercado global
Uma vez que esses novos navios sejam entregues e incorporados à frota marítima chinesa, a participação da China no controle de frota marítima mundial de transporte de automóveis deve saltar de 2,4% para 8,7%, segundo Andrea de Luca, analista da Veson Nautical.

Este aumento na capacidade de transporte é crucial, especialmente para empresas como a BYD, que sozinha exportou mais de 240 mil veículos no último ano.

A BYD planeja exportar até 400 mil carros elétricos até 2024 e já investiu em um navio com capacidade para 7 mil carros, com planos de adicionar mais sete dessa capacidade nos próximos dois anos.

Implicações para o transporte marítimo
O transporte marítimo de veículos geralmente utiliza os navios roll-on/roll-off, onde os carros são conduzidos a bordo, o que elimina a necessidade de guindastes.

Com a expansão da exportação chinesa, essa classe de navios, que vinha enfrentando uma baixa nos últimos anos, vê agora uma revitalização potencial graças ao aumento da demanda por esses navios modernos e eficientes.

Fonte: Olhar Digital e Electrek / Imagem: Reprodução