A primeira piscina “flutuante” do mundo está no 10º andar dos dois prédios

por:
17/01/2022 as 16:35
De olho na Engenharia
A primeira piscina “flutuante” do mundo está no 10º andar dos dois prédios

A Sky Pool, também conhecida como piscina do céu, foi inaugurada recentemente, no dia 19 de maio de 2021. Está localizada em Embassy Gardens, um empreendimento residencial em Nine Elms, na região sudoeste de Londres.

A primeira piscina “flutuante” do mundo está no 10º andar dos dois prédios, a 35 metros de altura e foi construída utilizando acrílico transparente. Os moradores poderão passar de um bloco para o outro nadando, e sentirão como se estivessem em um aquário flutuando sobre a cidade.

Em 2013, na fase de planejamento, as equipes criativas da EcoWorld Ballymore se reuniram para discutir onde posicionar a piscina, de forma que ela fique ao ar livre no projeto. Chegaram à conclusão de que o único espaço grande o suficiente era entre as duas construções. A partir disso, uma ideia maluca foi introduzida, a piscina não deveria ser no solo, mas suspensa na cobertura, ligando os dois prédios.

Vista superior Fonte: Hypeness

Os engenheiros estruturais Eckersley O’Callaghan e HAL Architects realizaram múltiplas análises comportamentais para garantir que a estrutura não desabasse. A Sky Pool tem 25 metros de comprimento (que se estende pelos dois telhados), 5 metros de largura e 14 metros de seção central entre os dois edifícios. As laterais de acrílico têm 20 cm de espessura, a laje inferior 30 cm e 3,2 metros de profundidade. Ao todo, a estrutura pesa 50 toneladas e tem capacidade para comportar 148 mil litros de água. No restante da piscina foi utilizado aço de alta resistência, que tem por finalidade, absorver as tensões da seção central, uma vez que o acrílico se expande com as mudanças de temperatura e os prédios se moverão naturalmente devido ao vento e às diferentes fundações.

Vista inferior Fonte: ArchitecturalDigest

Enquanto ambas as extremidades se assemelham a uma piscina exterior tradicional (preenchendo uma cavidade no solo), a seção central está suspensa no céu, graças a sua estrutura de aço invisível.

Os setores de aço foram fabricados pela BradFord Products, na Carolina do Norte. Já as três lajes de acrílico que formam uma caixa de vidro transparente, foram construídas no Colorado. Após serem transportadas para Londres, as placas foram içadas e posicionadas no lugar correto, unidas quimicamente e conectadas a base de aço.

A ideia foi expandir os limites da construção e da engenharia, trazendo o futuro do design para o presente. Segundo o engenheiro estrutural Eckersley: “Quando você nadar, você poderá olhar diretamente para baixo. Será como voar”.

Fonte: Petcivil 

Projeto: ArchitecturalDigest