Concreto permeável

por:
31/05/2021 as 20:07
De olho na Engenharia
Concreto permeável

Vivemos tempos difíceis, de um lado, enchentes que destroem vidas e cidades, do outro, pessoas passando por problemas com a falta de água. Mas você pode se perguntar: E o que a engenharia civil tem a ver com isso? Poderia a engenharia minimizar os dois problemas? A resposta é sim!

Como já vimos, a construção civil não é constituída de ciclos viciosos, mas sim de inovações. A cada dia que passa novos materiais são descobertos, substituídos ou ainda aprimorados, tudo de forma que atenda às necessidades econômicas, sustentáveis e sociais do país. E foi pensando assim que a empresa britânica de materiais de construção, Lafarge Tarmac, desenvolveu um concreto que é capaz de absorver até 4 mil litros de água em menos de um minuto, o concreto permeável se chama TOPMIX e é capaz de prevenir inundações; evitar possíveis acidentes de automóveis em estradas molhadas; reduzir o aquecimento das pistas e ainda armazenar a água. Como?

O concreto permeável conta com canais de drenagem incorporados que permitem que a água das chuvas passe através dele e seja armazenada nas camadas inferiores até ser conduzida ao lençol freático por meio do subleito ou então levada ao sistema de drenagem da cidade. “Durante períodos de aumento das temperaturas e de chuvas intensas, a água armazenada dentro do sistema evapora, criando um efeito de resfriamento que reduz a temperatura da superfície”, explica a empresa. Dessa forma, não existe perda de espaço de pavimentação e tem-se uma área pronta para absorver precipitações, evitando enchentes e realimentando o aquífero subterrâneo.

Mas, como nem tudo são flores a companhia afirma que, em locais com temperaturas muito baixas, a água retida pode congelar, danificando o piso e segundo as normas americanas, quando o solo é propício, em 72 horas a água armazenada é absorvida e lançada no aquífero. Se o subsolo é compacto e impermeável (argiloso, por exemplo), no entanto, a água que fica na base e na sub-base não consegue ir rapidamente para o lençol freático e fica acumulada no reservatório granular. Nesse caso, as camadas de pedra da estrutura podem encher e transbordar pela superfície, voltando para cima do concreto poroso.